Depoimentos

Lana entrou no GEDRI no final de 2008 e até hoje atua como bailarina. Também coordenou o grupo de julho a dezembro de 2010.

Aline Lima (Lana)

“O GEDRI pra mim foi o começo de uma nova vida. Graças a esse grupo maravilhoso, criei forças para enfrentar minhas dificuldades, voltei a frequentar mais a casa espírita, e tive mais ânimo para estudar a doutrina. Sem contar que a dança sempre foi minha paixão, e já não me imagino longe do GEDRI. Aprendi muito com todos os integrantes que já passaram pelo grupo, e espero ter contribuído com alguma coisa para eles. Resumindo: Somos uma família. Somos GEDRIANOS!!!”

Mayara (May)

Mayara entrou no GEDRI no final de 2007. Atua como bailarina, coreógrafa e professora de técnica clássica, além de ter coordenado o grupo no início de 2010.

“Eu conheci o trabalho do GEDRI no 27º EMEES (Encontro de Mocidades Espíritas do Espírito Santo), estava na expectativa enquanto aguardava na platéia a apresentação de um espetáculo de dança. Achei o máximo quando assisti as coreografias e senti toda aquela energia que as bailarinas no palco emanavam, e quando chegou o momento em que as borboletas abriram as asas, percebi toda aquela alegria, com as mais variadas cores e sorrisos, e disse para mim mesma:  “Eu também quero ser uma borboleta!”. Logo depois do EMEES eu participei do ENCONTREEI (Encontro de Evangelizadores), e participei de uma oficina de dança na evangelização que a Mari Petri estava ministrando, e com toda a vergonha do mundo eu disse que gostaria de participar do grupo; várias integrantes estavam presentes e eu senti o sentimento sincero ao me convidarem a ir à reunião. Entrei no GEDRI em 2007, estava no meu penúltimo ano de formação em ballet clássico na Escola de Teatro e Dança FAFI, e no grupo eu pude ver uma nova possibilidade de dança. Havia a liberdade de trabalhar um tema baseado nos ensinamentos do Cristo e na Doutrina Espírita, estudando e desenvolvendo coreografias a fim de divulgar a mensagem, podendo participar do processo coreográfico e criativo dos espetáculos. Era uma nova realidade que eu recebi de braços abertos e, para mim, mais especial ainda era ter a oportunidade de ensinar os passos e ver as pessoas se esforçando para realizarem o que era proposto, e como era bonito ver o resultado! O primeiro espetáculo que tive o prazer de apresentar foi “Per Somnum” (em 2008) e a partir daí vários outros trabalhos e momentos vieram. O GEDRI para mim é uma oportunidade de me sentir livre e completa fazendo aquilo que eu mais amo: dançar. É uma família, repleta de amigos que preenchem o meu coração e me fazem a cada momento ter certeza que realmente o amor é um sentimento sincero e recíproco. Ao GEDRI, obrigada pela oportunidade do trabalho. Aos Gedrianos, só tenho a agradecer por tudo o que vocês representam para mim e o quanto me fizeram e fazem crescer durante todos estes anos de relacionamento. AMO VOCÊS! Com carinho, May.”

Vaneza participou do GEDRI de dezembro de 2009 a novembro de 2010 como bailarina.

Vaneza

“Bem, o Gedri na minha vida foi um presente de Deus. Apesar da distância dos Gedrianos sinto muita falta de todos e de tudo, ou seja, todo o bem que me proporcionava. Amo demais vocês e desejo muito amor e perseverança, pois o trabalho de vocês não é pra qualquer um não, é pra quem realmente ama a Doutrina Espírita e tem boa vontade. Bju!”

Aline Leão

“Representou um momento de aprendizado, sobre a necessidade de que todos nós temos

Aline participou do GEDRI como bailarina desde sua fundação (setembro/2006), até março de 2009.

de nos aprimorarmos intimamente, por meio da disciplina, da perseverança, da superação, e principalmente do estreitamento dos laços de amizade. Trouxe o significado imprescindível do diferencial entre um Grupo de Dança e um Grupo de Dança Espírita: das responsabilidades em saber passar uma mensagem fidedigna; da necessidade do estudo contínuo; das diversas intuições recebidas ao longo dos ensaios; do apoio que recebemos constantemente dos nossos amigos espirituais. Ter feito parte do GEDRI, significou o registro de bons momentos compartilhados; desde a sensação única dos corações após cada apresentação realizada; até a simplicidade de chegar aos domingos de manhã e sentar ao chão para o alongamento inicial com as músicas do GAN. Por estes e outros motivos, desejo aos atuais integrantes do grupo e para aqueles que estão por vir, muita energia, vontade, e amor para que continuem atuando como importantes instrumentos da arte espírita”.

Isadora Lee (Isa)

Isa entrou no GEDRI logo após o EMEES de 2010 e atua desde então como bailarina. Em janeiro de 2011 assumiu a coordenação do grupo.

“Entrar para o GEDRI foi para mim, um modo de agradecer por tudo que os trabalhadores espíritas já acrescentaram em meu modo de ser e pensar. Unida à vontade de poder fazer a diferença, a menor que seja, na vida de tantas pessoas que passam por nós. E hoje o GEDRI faz parte de mim, parte do que eu sou. Na faculdade, com a família e os amigos eu sou uma GEDRIANA e levo comigo todo o aprendizado que esse grupo trouxe para minha vida. A dança? Aaaah, a dança! Paixão que nem eu sabia que existia dentro de mim! Remédio para a alma! O GEDRI é o que é hoje porque antes de nós muitos outros já passaram por aqui e deixaram seus corações conosco! Amo muito todos vocês! Com muito carinho e amor, Isa.”

Guilherme Vasconcelos (Gui)

Gui entrou no GEDRI em 2007 (logo depois do EMEES) e está até hoje atuando como bailarino.

“Quando eu tive a GRANDE surpresa de ver o GEDRI no 27º EMEES, apresentando o seu primeiro espetáculo (De Lagarta à Borboleta), eu percebi que PRECISAVA participar desse grupo! Deus! A Beleza, a sintonia, a história, o conteúdo, a Doutrina que ali aquelas meninas disseminavam no público, era algo apoteótico! Eu PRECISAVA participar desse processo também porque, se sendo platéia eu senti UM MUNDO de bonanças, imagine participando desse processo até chegar à apresentação?! Sim gente, é mais ou menos por aí, pra mim, o que é participar do GEDRI. Quando entrei, me senti uma coisa menor que uma célula pela grandiosidade que eu tinha visto aquelas meninas fazerem. Se quase todas não tinham contato com dança (ballet mais precisamente) e eram daquele jeito, eu pensava que nunca conseguiria pegar no tranco! Mas com MUITA receptividade, alegria, companheirismo, amizade e muuuuita paciência, fui recebido, auxiliado, O TEMPO TODO! Isso me deu força e vontade em fazer por onde para atender à tamanha confiança e incentivo dados a mim. Minha primeira apresentação no grupo (em ‘Per Somnum’), foi algo que não consigo traduzir por nossas formas terrenas de explicar as coisas… Daí pra frente, não consegui deixar de me envolver e aprender mais e mais no trabalho! Sempre gostei de tudo o que envolve a arte! Tudo mesmo, mas a dança nunca foi minha paixão. Eu a admirava muito, mas nunca pensei em me envolver com essa arte. A que eu sempre fui apaixonado e ainda amo é a música, é cantar (e continua só uma camadinha acima de amor que tenho pela dança, rs), mas o interessante é que, com o passar do tempo, eu fui envolvido, a dança foi me conquistando aos poucos, até chegar hoje num amor incondicional! Eu digo, AMO A DANÇA! Principalmente a Dança Espírita! E foi graças a essa descoberta que o GEDRI me proporcionou, que pude aprender, e continuar aprendendo, com uma intensidade absurda, a trabalhar o que leva o nome do Grupo, a minha REFORMA ÍNTIMA. Existem MUITAS dificuldades (muitas das vezes por nós mesmos criadas), que nos fazem enfraquecer e querer desistir. Mas aí vêm os estudos sobre a Doutrina dentro do grupo, que SEMPRE nos dão forças para continuar! Vem a certeza de uma espiritualidade, uma equipe IMENSA, que está do nosso lado, ajudando-nos, e só esperando nossas fraquezas passarem pra que possamos concretizar um trabalho que é DELES, há muito tempo desenvolvido e organizado. Por essas e outras, agradeço a Deus pela bênção do GEDRI! Sem esse grupo, eu não seria o 1/4 q sou hoje (pois os outros 3/4 são dos outros grupos e pessoas responsáveis pelo que sou também…). Beijos em todos! Gui.”

Mariana Petri (Mari)

Mari é co-fundadora do GEDRI e coordenou o grupo até 2010. Atuou também como bailarina, coreógrafa e professora de técnica clássica.

“As palavras jamais conseguirão expressar minha gratidão por um dia ter feito parte da história deste grupo… O GEDRI foi uma das experiências mais importantes e intensas de minha vida. Foi uma idéia que surgiu meio que de repente, certamente orientada pela espiritualidade, e que não teria saído da vontade se não contássemos com pessoas  que tiveram a coragem de encarar um desafio tão novo e ainda incompreendido… Sua história foi sendo construída com muito esforço, amizade e muito trabalho coletivo. Minha maior alegria é olhar para trás e ver todas as pessoas que um dia fizeram parte desta família, cada qual com a sua contribuição, cada qual com a sua cota de criatividade e dedicação, e ver que suas histórias foram mais felizes por isso. É ainda olhar para frente e imaginar quantos farão de suas histórias mais belas por participar de um grupo tão especial… Mais ainda: é pensar em quantos já fizeram ou farão a vida de muitas outras pessoas mais bonitas por conta de uma apresentação, de um sorriso, ou de um simples bater de asas multicoloridas… Estou confiante de que os integrantes de agora e do futuro defenderão sempre o ideal de promover uma arte espiritualizada, onde Jesus é o Mestre maior e a simplicidade é a palavra de ordem. Lembrem-se de que não importam as pessoas que estão à frente do grupo, mas sim o trabalho, que sabemos estar muito acima de nossa pequenez e de nossas imperfeições. Este sim está nas mãos da espiritualidade, e nós somos apenas instrumentos, por demais imperfeitos, na transmissão da mensagem de amor e beleza universais… Rogo a Deus para que todos tenham muita coragem e boa-vontade para continuar a tarefa, com a certeza de que sempre estarão amparados. Sentirei muita falta de todos, mas a vida tem seus desígnios próprios e precisamos entregar o coração a Deus para entendê-los… Amo muito todos vocês, que no passado, no presente ou no futuro fizeram e sempre farão parte desta família espiritual chamada GEDRI. Gratidão eterna! Mari”

Babi é bailarina do grupo desde 2009, estreou suas apresentações no EMEES de 2010.

Babi participou do GEDRI de 2009 a Outubro de 2011 como bailarina.

Barbara Carrafa (Babi)

“O GEDRI foi o início de uma nova fase em minha vida.

Esse grupo que tanto amo me aproximou ainda maisdo espiritismo, me fez entendermelhor a doutrina, e me dá a constante oportunidade do trabalho e da melhora individual através da reforma íntima.

Só tenho a agradecer por ter encontrado amigos tão queridos, com os mesmos objetivos, com o mesmo amor pela dança, pela arte e com a mesma vontade de tocar o coração de quem nos assiste.

Espero continuar com vocês, aprendendo cada vez mais!

Amo todos vocês!!!

Babi Carrafa”

 

Thiara Faé (Thi)

Thiara Faé

Thiara entrou no GEDRI em 2010 em um momento de transição do grupo e trouxe na bagagem experiência com a dança.   Co-coordenou o grupo em 2011, atualmente é bailarina .

“O desejo de fazer parte da família GEDRI sempre se manifestou em meu coração e um dia apenas naquela família foi suficiente para eu me sentir “em casa”! Assim, o GEDRI transformou-se em uma das minhas prioridades e digo com muita alegria que, hoje, faço parte dessa FAMÍLIA!

De fato, tudo tem seu momento certo para acontecer, pois, vocês GEDRIANOS, estiveram comigo em um dos momentos mais felizes e no mais triste da minha existência, até então!

Vocês me dão força e certeza de que estamos caminhando JUNTOS rumo ao nosso aperfeiçoamento íntimo!

Vocês são meus irmãos, meus amados, as flores do meu caminho!

A todos os GEDRIANOS, meu muito obrigada!

Thi”

 

Rodrigo Ferri (Digo)

Digo

Rodrigo entrou no gedri em 2010, acompanhando o grupo desde então. Iniciou os trabalhos na equipe técnica e hoje faz parte do corpo de bailarinos.

“O gedri está criando raízes em outros cantos do nosso mundinho e mais do que dançar o gedri hoje é um estilo de vida, ser do gedri não quer dizer fazer lindos passos de dança em um palco todo iluminado e feliz, faz parte, mas não é isto que faz de mim e de vocês um gedriano, o que torna-nos tão especiais é a maneira de agir perante todas as adversidades da vida, a maneira de levar a alegria a todos que estão a sua volta, é ter o espiritismo como guia e Jesus como modelo, é saber que existem sim inúmeras barreiras em toda a nossa caminhada e ter certeza de que elas nunca terão o poder de nos frear enquanto estivermos no trabalho do bem, do amor e do belo, é ter força de vontade e garra para aceitar os desafios e se propor a supera-los, sabendo que somos meio de transmissão de mensagens e em tudo o que fazemos, somos Gedrianos. Mil beijos, Digo.”

12 respostas para Depoimentos

  1. Gui (GEDRI) disse:

    Ahhhhhhhh… tah lindooooo!!!
    ^^

  2. Isa disse:

    Lindo Lindo!

  3. thiarafb@gmail.com disse:

    Agradeço a Deus, Pai de infinita bondade, por me mostrar a grandiosidade desse grupo espírita de arte, pois aqui não existe ex-integrante, visto que cada um levam consigo todas as aprendizagens em seus corações, fazendo com que o amor ao trabalho na Seara do Cristo seja contemplado com uma maior responsabilidade em levar os ensinamentos da Doutrina dos Espíritos a toda a Humanidade.
    À vocês que fizeram parte do GEDRI sejam conscientes de que estão nos corações de cada um de nós, até mesmo daqueles que não as conhecem, como eu, pois estamos nos encontramos num só coração.
    Um abraço afestuoso a todos, Thiara.

  4. Isa disse:

    O Depoimento do Gui todo colorido ficou a cara dele! hehehhehe amo vcs

    • May disse:

      postei o depoimento respeitando toda a formatação definida por ele ao me enviar! rsrsrs (assim como o de todas as pessoas que me enviaram os depoimentos)

  5. Ana Paula disse:

    Agradeço imensamente a Deus por estar começando agora a fazer parte desse grupo tão maravilhoso, de tanta luz. Minha vida é outra agora. Agora tenho o GEDRI em minha vida. E essa é uma oportunidade incrível! Obrigada a todos!!

  6. Gui (GEDRI) disse:

    Só sei chorar Mari. Rsrs. Claro que é de alegria por tudo, pela labareda de incentivo dita por vc, mas é claro que tb já é de uma IMENSA saudade já difícil de transpor para o pensamento que tudo é do jeito que tem que ser. Mas, até pra minha emoção chegar nessa etapa é necessário tempo. Só rogo pra que então ele passe logo e assim eu sinta somente a alegria de ter uma história tão bonita de amizade, convívio e MUITO trabalho com vc!
    Te amo demais, minha amiga!!!
    Fica com Deus!
    Todos torcemos SEMPRE por vc!

  7. Fabiana Ramos disse:

    foi muito bom ter voado nas asas do sonho com vocês…emees 2007;
    bjim,faby

  8. Estela Magalhães disse:

    Amigos queridos,
    Comecei meu dia com bonitas lições de algo que faz parte de mim, da minha história. Estou muito emocionada com a beleza deste trabalho, do quanto ele é grande, justamente por trazer a cada um as lições de amor, fé e caridade. Obrigada por compartilharem conosco estas gotas de luz que são os depoimentos de histórias que formam um emaranhado de dança e vida.
    Beijo grande no coração de cada um!
    P.S.: Eu ainda vou mandar o meu, heim? Vai guardando um espacinho aí. hehehe

  9. Gui (GEDRI) disse:

    É… o seu e de todos os outros:
    Gabi, Felipe, Carlinha, Scheilinha, Melina, Natália… e tantos outros…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s